Prefeito eleito de Gurupi, irá a Sete em busca de mais voos pra cidade!

Laurez articula reunião entre companhia aérea e empresários gurupieneses Prefeito eleito, Laurez Moreira, e diretor comercial da Sete Linhas Aéreas, Décio Assis, durante reunião em Goiânia O prefeito eleito de Gurupi e deputado Federal Laurez Moreira (PSB) realizará, na próxima segunda-feira, dia 05 de novembro, uma reunião com diretores da empresa Sete Linhas Aéreas para […]

Advertisement
Advertisement

Honda inicia a produção do HondaJet nos EUA.

A montadora japonesa Honda começou a produzir seu pequeno jato executivo nos Estados Unidos, com o objetivo de criar um “Civic dos céus” que poderia tornar a empresa uma importante competidora entre os maiores fabricantes de aviões do mundo. A Honda anunciou nesta quarta-feira que sua unidade de aviões baseada nos EUA está fabricando um pequeno jato para cinco passageiros, que se destaca por ter dois motores montados sobre as asas.

A produção está sendo feita em Greensboro, no Estado americano da Carolina do Norte. “A certificação federal dos EUA para o motor do jato deve vir antes do fim deste ano e para a aeronave no próximo ano”, disse a porta-voz da Honda Fumika Ishioka, em Tóquio. Entre os aviões similares ao HondaJet estão o Phenom 100, da fabricante brasileira Embraer, e o Citation CJ1+, da americana Cessna.

Alguns executivos estão apostando que o projeto da Honda, que analistas afirmam ter atrasado, poderá renovar o espírito de inovação que muitos dentro e fora da Honda acreditam que foi perdido pela companhia. Segundo a porta-voz da empresa, bem mais de 100 clientes fizeram encomendas pelo HondaJet. A companhia está planejando aumentar a capacidade de produção da unidade norte-americana, Honda Aircraft, para que seja capaz de montar 100 jatos por ano dentro de dois a três anos, disse ela.

Mas a Honda enfrenta grandes obstáculos para entrar no mercado, especialmente diante do design incomum do avião e da falta de histórico da empresa em serviços e manutenção de aeronaves. “Toda essa novidade assusta muitas pessoas”, disse o analista Jeffrey Lowe, da consultoria Asian Sky Group. “Algumas pessoas podem assumir uma atitude de esperar para ver.”

Lowe disse que o programa da Honda está com atraso de cerca de dois anos, já que a certificação do jato executivo era esperada para agosto do ano passado. Mas ele duvida que isso possa representar uma desvantagem, uma vez que o mercado de aviação executiva global tem desacelerado. O projeto da Honda começou no fim da década dos anos 1980 e naquela época parecia pouco realista: transformar a Honda de uma entre várias montadoras de veículos japonesas na primeira fabricante de aviões bem-sucedida do Japão desde a Segunda Guerra Mundial.

Executivos da Honda afirmam esperar que o HondaJet agite o mercado de jatos executivos com a mesma eficiência no consumo de combustível, design inteligente e baixo preço que permitiu a primeira geração do Honda Civic combater as gigantes automotivas de Detroit três décadas atrás.

Advertisement

O design do jato de US$ 4,5 milhões, com os motores estranhamente montados sobre as asas, é parte da razão que permitiu maior espaço interno e eficiência no consumo de combustível, disse o engenheiro-chefe, Michimasa Fujino, agora presidente das unidades de aviação da Honda em Greensboro.

Comparado com jatos similares no mercado atualmente, o HondaJet é projetado para voar cerca de 10% mais rápido e pousar e decolar em pistas mais curtas. Segundo Fujino, o modelo precisa de cerca de 20% menos combustível e oferece aproximadamente 20 por cento mais espaço de cabine – tendo um bagageiro “grande o suficiente para a Paris Hilton”.

Fonte: Terra

Ministro adia início de novo Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho

Novo termo teria início em novembro, mas passou para fevereiro.
Adesão ao novo termo ainda estava em 41%, explicou Brizola Neto.

Advertisement
Advertisement