A crise hídrica em Belo Horizonte

Em julho deste ano, durante uma sessão da CPI das Barragens na Câmara Municipal de Belo Horizonte, um representante da Copasa admitiu que, no pior dos cenários, ou seja, sem reposição da captação devastada pela tragédia de Brumadinho e sem chuva, poderia faltar água a partir de junho do ano que vem.

O João Renato Faria conversou com a repórter da editoria de Economia de O TEMPO Rafaela Mansur para entender a situação.