Anúncios
Advertisement

Vida saudável após os 60 anos pede moradia conectada às emoções

Com apoio da tecnologia, construção civil e arquitetura devem se preparar para a crescente demanda da população de idosos brasileiros, avisam especialistas

Advertisement
Anúncios

Síndrome neurológica rara é mais comum em quem teve Covid-19 do que em vacinados

Um pequeno aumento de casos de síndrome de Guillain-Barré (SGB), uma rara doença neurológica que afeta o movimento, foi associado à vacinação contra a Covid-19. No entanto, uma nova pesquisa publicada na última segunda-feira (25) mostra que, apesar da vacina aumentar o risco (mesmo que de forma muito pequena) de desenvolver a doença, pessoas que […]

Advertisement

Projeto institui programa ‘Ônibus da Saúde da Mulher e do Homem’

Contemplando as campanhas do Outubro Rosa e Novembro Azul, o deputado estadual Dr. Gimenez (PV) apresentou o projeto de lei nº 978/2021 que institui o programa ‘Ónibus da Saúde da Mulher e do Homem’ em Mato Grosso.

Dr. Gimenez explica que o objetivo é assegurar uma unidade móvel por departamento regional de saúde, garantindo principalmente o deslocamento de equipes de profissionais aos municípios mais distantes e às comunidades rurais.

‘A saúde precisa chegar à toda população feminina e masculina adulta, por meio do acesso a consultas, exames e procedimentos cirúrgicos quando necessários. Pode parecer simples, mas, a distância até a unidade de saúde muitas vezes impede o diagnóstico e o tratamento precoce’.

O ônibus da saúde da mulher e do homem deverá oferecer, preferencialmente, exames e consultas nas áreas ginecológicos e urológicos, ampliando a cobertura estadual na saúde preventiva. O projeto também busca dar acesso célere a cirurgias em caso de cânceres detectados.

Leia Também: Campus da Unemat de Rondonópolis pode se chamar “Dom Juventino Kestering”

A prioridade é atendimento de homens na faixa etária acima de 45 anos, exceto pacientes da raça negra com histórico de câncer na família, os quais iniciarão o rastreamento a partir dos 40 anos; já as mulheres, a partir do início de sua vida sexual.

‘Vamos focar nos municípios com baixa adesão a exames preventivos, buscando o engajamento das prefeituras que precisarão cumprir alguns requisitos, como prover e divulgar campanhas educativas, agilizar o atendimento e garantir consultórios para a equipe multidisciplinar’, acrescentou Dr. Gimenez.

Também será de responsabilidade do município garantir o acesso a serviços com atenção especializada de média e alta complexidade nos casos que necessitarem de exames mais complexos (tomografias, ressonâncias, exames patológicos e biópsias) e aos medicamentos via farmácia de alto custo.

Para Dr. Gimenez, o programa deverá evitar a formação de ‘filas’ para exames especializados, que é uma reclamação recorrente da população. Até o início de outubro, por exemplo, havia mais de 2,9 mil mulheres na fila de espera por exames de mamografia na Central Estadual de Regulação de Mato Grosso, conforme dados são da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Leia Também: Botelho visita 1ª Cia Independente de Polícia de Chapada e assegura parceria para nova sede

‘A mamografia é uma das medidas mais importantes para a detecção precoce do câncer de mama, principalmente na faixa etária dos 50 aos 69 anos, no entanto, pelo que temos acompanhado tem havia uma baixíssima adesão ao procedimento, o que contribui para o agravamento na saúde das nossas mulheres, precisamos mudar isso urgentemente’.

Leia Também: Botelho visita 1ª Cia Independente de Polícia de Chapada e assegura parceria para nova sede

‘Nosso intuito foi de movimentar o comércio e o turismo, especialmente, para os ambulantes que sofreram mais na pandemia, e agora podem vender seus produtos e o resultado está sendo positivo, a visitação está sendo maravilhosa, com público grande e as pessoas trabalhando fomentando o comércio, um fator importante. Nosso intuito também de valorizar a história e o aprendizado’, disse o deputado.

A exposição Vale dos Dinossauros está aberta ao público todos os dias, das 17h30 às 19h00 e no sábado, domingo e feriados das 07h30 às 19h00. A aula de campo é sucesso entre os alunos, conforme ressaltou a professora Marcília Araújo de Lima. ‘Estamos recebendo alunos do município, das redes pública e particular, a empolgação é muito grande por parte deles. Essa empolgação vem desde a educação infantil aos pré-adolescentes. Recebemos hoje os alunos do colégio Tiradentes e estão muito animados, vivenciam este momento através da nossa fala, está sendo muito prazeroso. A aceitação é muito grande. Percebo através das visitas que é bem elogiado. Vêm pessoas de todo o estado’.

Juciney Siqueira, técnica da educação ambiental em Várzea Grande, disse que desde a inauguração do parque em dezembro do ano passado, muitos projetos inovadores estão em andamento.

Leia Também: Moradores de Várzea Grande ganham miniestádio

‘Esse projeto dos Dinossauros foi uma parceria com o estado. Também emenda do deputado Eduardo Botelho, que está sempre ajudando Várzea Grande. As escolas estão vivenciando momentos da história como se fossem reais os dinossauros. Trabalhamos também a questão ambiental, conscientização. Já tivemos Semana da Árvore, Semana da Água e agora o projeto Descoberta dos Dinossauros e a Semana do Lixo Zero, com caminhada ecológica que sai do parque se segue para o bairro Santa Isabel, fazendo a limpeza no entorno do parque e conscientizando sobre a importância da preservação do meio ambiente’.

Advertisement

A autônoma Ranieri de Almeida Silva Oliveira levou o filho João Pedro, 7 anos, para apreciar a exposição. ‘Ele viu as imagens na tv e ficou pedindo para vir aqui conhecer’. ‘Até trouxe meus brinquedos. Foi legal’, disse João Pedro.

Os primos Arthur Nascimento e Pedro Miguel ficaram impressionados com os dinossauros que se movimentam e emitem sons. ‘É muito legal e deveria ter em Cuiabá também. Foi incrível, brincamos bastante’, comemoraram.

Fonte:  

PCDF prende na Bahia homem que vendia remédio abortivo para todo Brasil

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, nesta quinta-feira (21/10), a segunda fase da Operação Sexto Dia, que investiga um esquema de venda de medicamentos abortivos por meio de aplicativo de mensagens. Nesta nova etapa, um homem foi preso por distribuir abortivos para revendedores que atuam em todo o Brasil.

A ação policial ocorreu em Salvador, na Bahia, onde foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão. A investigação, conduzida pela Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), identificou que uma estudante de medicina veterinária, de 24 anos, comandava essa comercialização de remédios pela internet.

Nas redes sociais, os interessados preenchiam um formulário e citavam a possibilidade de aborto de até 12 semanas. A suspeita ainda dava a possibilidade de pagamento em até 12 vezes. Em uma das conversas obtidas pela PCDF, uma mulher afirma que tomou oito comprimidos e percebeu que saíram três coágulos.

Veja a conversa abaixo:

Foto: Divulgação/PCDF

Foto: Divulgação/PCDF

“>

De acordo com os investigadores, a associação criminosa tem como modus operandi a disponibilização de perfis em redes sociais de apoio à mulher e informava a possibilidade de ‘aborto seguro’ com utilização de uma medicação denominada Cytotec.

O remédio é composto por Misoprostol: indutor abortivo sujeito a controle especial. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por meio da Portaria SVS nº 344/1988, estabelece que as vendas de medicamentos à base de Misoprostol ficarão restritas a estabelecimentos hospitalares devidamente cadastrados e credenciados junto à autoridade sanitária competente.

Advertisement

Vale lembrar que o Cytotec é um medicamento de uso controlado por hospitais e a sua venda é criminosa, podendo chegar até 15 anos de reclusão e, a pessoa que compra, que prática o aborto em si mesma ou auxilia outra pessoa a realizar o aborto, ela também responderá criminalmente pelo crime de aborto.

Fonte: Mais Brasília

Pesquisadoras baianas desenvolvem tratamento inovador contra a candidíase

Coceira intensa na região íntima e dor ou ardência durante as relações sexuais são alguns dos sinais de alerta para a candidíase vaginal, uma infecção causada por qualquer tipo de fungo do gênero Candida. Ela não é considerada uma doença sexualmente transmissível e seu tratamento, geralmente, é realizado com pomadas ou medicamentos por via oral.

Porém, o alto índice de recorrência, relacionado ao fungo Candida glabrata chamou a atenção de um grupo de pesquisadoras do Instituto Patrícia Lordêlo. Elas perceberam que muitas pacientes não respondiam ao tratamento tradicional dentro do prazo previsto (dias), passando a meses de terapia medicamentosa acarretando efeitos adversos como insônia, ansiedade, disúria (dor ou ardor ao urinar) e dor vaginal.

Nesse sentido, o grupo desenvolveu um tratamento com o uso da luz de emissão de diodo (LED) azul que cujo resultado de cura já é alcançado em poucas sessões.

O Dispositivo de LED para tratamentos vaginais foi desenvolvido por meio de uma parceria entre o Instituto Patrícia Lordêlo (IPL), a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e a empresa DGM Eletrônica e já está disponível no mercado. A iniciativa permite o tratamento de enfermidades como a candidíase em larga escala, por meio de poucas sessões que podem ser realizadas por profissionais que atuam na área uroginecológica como urologistas, ginecologistas, fisioterapeutas e enfermeiros, excluindo o uso de medicamentos.

‘Temos casos de pacientes que já estavam em tratamento há mais de seis meses e com apenas três sessões de trinta minutos alcançaram a cura’. Ela destaca a falta de contraindicações do tratamento por se tratar de emissão de luz, sem radiações ou outros fatores externos. ‘A sessão é simples. A paciente fica deitada e não precisa fazer nada’, explica Lordêlo.

IPL

Localizado no Edifício comercial Max Center, no Itaigara, o IPL é especializado no trato de incontinências urinárias, incontinências anais e fecais, constipação, disfunções sexuais femininas e masculinas (como disfunção erétil, doença de Peyronie, dificuldade de lubrificação, dor à penetração), candidíase, atrofia vulvovaginal e outras disfunções relacionadas à região genital.

Para ter acesso aos serviços, basta o paciente ter o cartão do SUS e ligar para agendar sua consulta pelo número 71 3213-1351 ou pelo aplicativo de mensagens whatsapp, pelo número 71 99906-2400.

SEM FILAS

Por se configurar como um espaço de formação profissional em saúde, o IPL tem alguns diferenciais em seu atendimento. Para o paciente, não há a necessidade de passar pela burocracia da regulação. Basta ter o cadastro no SUS e ligar para agendar uma consulta.

Advertisement

Outro diferencial do Instituto Patrícia Lordêlo é a horizontalidade do atendimento. Um único paciente é acolhido por toda a equipe composta por fisioterapeutas, médicas, enfermeiras, psicólogas, nutricionistas, profissionais de educação física e farmácia que, em conjunto, discutem caso a caso. (TRBN)

Fonte: